No dia 8 de janeiro de 1986, a Associação dos Magistrados Piauienses (Amapi) reuniu, em caráter extraordinário, a sua diretoria, sob a presidência do Des. Paulo de Tarso Mello e Freitas. Com a presença dos diretores e outros associados, do então coordenador do Centro de Apoio às Escolas de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados, Des. Cristovam Daiello Moreira, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, especialmente convidado; funcionários, servidores e serventuários da Justiça do Piauí, com o objetivo de institucionalizar e organizar a Escola Superior da Magistratura do Estado do Piauí (Esmepi).

Na ocasião, após a exposição de motivos, o Des. Paulo de Tarso Mello e Freitas, presidente do Tribunal de Justiça do Piauí e da Amapi, propôs a criação da Esmepi, o que foi aprovado por unanimidade de votos. Ficou deliberado, a propósito, que a Escola destinar-se-ia a ministrar cursos de atualização, aperfeiçoamento ou especialização para magistrados; cursos de atualização, aperfeiçoamento e especialização aos serventuários, servidores da polícia, membros do Ministério Público, Defensores Públicos, Procuradores, funcionários do Poder Judiciário, oficiais militares e graduados em Direito.

Mas a história da Esmepi só começou a ser consolidada durante a solenidade de instalação do Ano Judiciário, em 6 de fevereiro de 1986, quando foi aprovada pelo Plenário do Tribunal de Justiça, à unanimidade de votos, a Resolução de nº 01, de 6 de fevereiro de 1986, que oficializava os cursos que seriam ministrados pela Esmepi.

Ao Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, ficou acordado concorrer anualmente com os recursos de subvenções previstos no orçamento. À Amapi ficou estabelecida a responsabilidade com os encargos financeiros, decorrentes da manutenção da Esmepi. O diretor da Escola Superior da Magistratura teve acertado um mandato de dois anos, por escolha do Presidente da Amapi, com anuência do Presidente do Tribunal de Justiça do Estado.

Ao diretor, por livre escolha, nomeava os demais auxiliares diretos da Escola. A cargo da Esmepi, ficou estabelecido fornecer certificado de aproveitamento a quem, tendo o mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) de frequência às atividades escolares, tiver obtido em todas as disciplinas do curso realizado notas iguais ou superiores a sete.

O primeiro diretor da Esmepi foi o desembargador Manfredi Mendes de Cerqueira, por indicação do Presidente em exercício da Amapi, Des. Milton Nunes Chaves. As primeiras aulas da Escola aconteceram no mês de março de 1986, no auditório da Amapi. Atualmente a Esmepi tem como Diretor o Des. Edvaldo Pereira de Moura.

Acesse: http://www.esmepi.org.br/site/